Página WIKI da Família VALIM


Esta página pretende ser:

  • 1 - uma fonte de informação sobre as origens genealógicas do sobrenome (apelido, em Portugal) VALIM;
  • 2 - um ponto de encontro e de apresentação para os membros da grande Família VALIM;
  • 3 - um lugar para fazer relacionamentos e amizades, para os Valim falarem sobre suas atividades profissionais e não só.
  • 4 - todos os membros da família VALIM, ou seja, todos os que tenham esse sobrenome em seu nome, poderão acrescentar e modificar os textos existentes, ou propôr novos textos.

UM POUCO DE HISTÓRIA, PARA COMEÇAR:


Os VALIM (essa denominação inclui também com as grafias Vallim, Valin e Vallin, que aparecem menos numerosamente no Brasil e no exterior) que hoje vivem no Brasil são descendentes de emigrantes açorianos que começaram a se transferir para o Brasil por volta de 1750, quando grassava uma fome devastadora no Arquipélago dos Açores, em decorrência de escassez de chuvas. O Governo central do Reino de Portugal disponibilizou recursos para financiar a viagem dos emigrantes para o Sul do Brasil, onde eram necessários para povoar o vazio demográfico da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, como se chamava à época. Uma segunda leva de VALIM's chegaram ao Brasil por volta de 1825, em outro contexto. Eram pessoas empreendedoras, que chegaram com algum capital e que se dedicaram à incipiente agricultura cafeeira do Estado de São Paulo e parte sul do Estado do Rio de Janeiro. Deles descendem a maioria dos VALIM do Estado de São Paulo, da grande família do Barão de Aguiar Valim, da Fazenda Resgate, em Bananal, Estado do Rio de Janeiro.

Muitos membros da Família VALIM emigraram também para os Estados Unidos, onde a grafia do nome foi por vezes mudada para VALINE, para manter -- aproximadamente -- a pronúncia original, com acento tônico na última sílaba.

Existem poucos VALIM no Portugal Continental. Até não muitos anos atrás não havia sequer uma entrada do sobrenome na lista telefônica de Lisboa. Hoje já existe, mas é muito provável que os atuais membros da família residentes em Lisboa tenham se radicado no Continente como resultado de movimentos migratórios das últimas duas ou três décadas, com a facilidade dos deslocamentos aéreos e profissionais.

E' muito provável que o sobrenome primevo tenha mesmo sua origem na França ou na Bélgica. E' historicamente comprovada a migração de flamengos (de Flandres, região de fala neerlandesa da Bélgica) para os Açores. Pesquisas genealógicas efetuadas pelos Mórmons chegaram a dois irmãos belgas que emigraram para os Açores, mais precisamente para a Ilha do Pico , no século XVII (cerca de 1630).

O CICLO DO CAFÉ, A FAZENDA RESGATE E O BARÃO MANUEL DE AGUIAR VALIM



Em 1833, José de Aguiar Toledo, pai do futuro Barão de Aguiar Valim, bem-sucedido comerciante açoriano, que havia chegado ao Brasil por volta de 1750, adquiriu a Fazenda Resgate e a pôs a produzir café em grande escala. Ao falecer em 1938, Aguiar Toledo deixou, para seus oito filhos, não só a Fazenda Resgate, como outras propriedades vizinhas, que havia adicionado a seu patrimônio. O mais empreendedor dos filhos, Manuel de Aguiar Valim, comprou de seus irmãos as respectivas partes da herança e faz da Resgate sua residência. Ao casar, em 1844, com Domiciana Maria de Almeida, Aguiar Valim juntou suas propriedades às da esposa, filha do Comendador Luciano José de Almeida, dono de uma das maiores fortunas do Brasil.

A Fazenda Resgate passou por reforma extensa em 1855, recebendo o segundo andar e sendo decorada com afrescos pelo pintor espanhol Villalonga.
Em 1884, o Imperador Dom Pedro II concedeu o título nobiliárquico de Barão ao já então Comendador Manuel de Aguiar Valim.